Crianças

Razões para solicitar intervenção psicológica

Nem sempre é fácil perceber quando é que os comportamentos dos nossos filhos justificam a visita ao psicólogo. Todas as crianças são diferentes, têm o seu próprio ritmo de desenvolvimento e estão em constante mudança, o que é sempre muito desafiante, quer para eles, quer para os pais. Por vezes, estas transformações, resultam apenas de fases próprias de cada idade, que, com as devidas medidas de adaptação e entendimento, acabam por se dissipar e refletem simplesmente mais uma etapa de crescimento superada!

Todavia, é natural que surjam muitas dúvidas e angústias durante o crescimento das crianças, as quais merecem sempre a devida atenção, para que possa usufruir do desenvolvimento dos seus filhos com a máxima tranquilidade e segurança.

Se sente que o seu filho está com dificuldades em superar mais uma fase do seu complexo crescimento, se sente que o seu estado de ânimo tem alterações significativas, como tristeza, choro ou agressividade, perturbações do sono, dificuldades na aprendizagem ou no relacionamento familiar e/ou social, então é importante que considere a hipótese de obter ajuda de profissionais especializados.

Um psicólogo pode ajudar a esclarecer todas as questões sobre o desenvolvimento do seu filho e tem a capacidade de intervir adequadamente, através de técnicas clínicas e pedagógicas, que permitem alcançar, em conjunto com os pais, o equilíbrio necessário para o crescimento saudável das crianças.

Se tem alguma dúvida, agende uma sessão de aconselhamento.

Quem disse que crescer é fácil?

AVALIAÇÕES PSICOLÓGICAS

Avaliações psicológicas para diagnóstico
Se o seu filho/a apresenta alterações ao nível do comportamento (alimentar, afetivo, escolar, perturbações do sono, ansiedade, tristeza, entre outros).
4/5 sessões | Valor: 35€ por sessão | Inclui relatório

CONSULTAS DE PSICOLOGIA

Consultas de psicologia para crianças, com necessidade de acompanhamento psicológico.
Valor: 35€ na 1ª sessão | 30€ sessões seguintes

MEDIAÇÃO FAMILIAR

Sessões de mediação, centrada na criança ou adolescente, destinadas a intervir com os pais.
Visa o restabelecimento do equilíbrio familiar e do bem-estar psicológico do menor, promovendo estratégias e comportamentos que beneficiem o desenvolvimento psico-afetivo da criança ou adolescente.
Adequado para:
– Alterações da vida familiar (separação ou divórcio, processos de regulação das responsabilidades parentais, luto, mudanças profundas nas rotinas e estrutura familiar).
Diagnóstico psicológico na criança ou adolescente (perturbações de comportamento, perturbações do sono, perturbações alimentares, dificuldades na aprendizagem, estados depressivos ou ansiosos, etc.) que beneficie, por parte dos pais, de mecanismos de adaptação às suas necessidades para o desenvolvimento psicológico saudável.
Valor: 35€ por sessão

MEDIAÇÃO ESCOLAR

Sessões para mediação, centrada na criança ou adolescente, destinada a intervir com os pais e a escola.
Visa o desenvolvimento de estratégias pedagógicas e educacionais que beneficiem o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança ou adolescente.
Adequado para:
Diagnóstico psicológico na criança ou adolescente (dislexia, défice de atenção, hiperatividade, perturbação autista, asperger, etc.) que necessitem de adaptações da vida escolar para impulsionar o desenvolvimento cognitivo e psico-afetivo, bem como de adoção de medidas específicas que promovam padrões de comportamento que possibilitem uma dinâmica positiva entre a escola, aluno e pais.
Valor: 35€ por sessão

ÁREAS DE INTERVENÇÃO

Dificuldades de Aprendizagem
Hiperatividade e Défice de atenção
Perturbações do Comportamento
Dislexia
Ansiedade
Depressão
Alterações da vida familiar
Perturbações do sono
Processos de luto
Vitimização e maus tratos
Mediação familiar
Mediação escolar

“Vim de um lugar que se parecia com um castelo, com muros muito altos parecidos com aqueles dos contos de fadas, sabes?!. Foi (quase, quase) de repente que vim parar a um sitio com muitas pessoas (que nunca vi e elas não me conhecem), é um sitio com lugares para ir (mas ficam longe uns dos outros nesta história) e muitas coisas novas para fazer (sabes que às vezes nem tenho tempo para brincar!). De repente começou tudo a andar muito depressa (como o comboio, depois de arrancar) e aparecem lá os monstros gigantes… são parecidos com o quê?..hum..com o medo! E andam à minha sombra (os crescidos não sabem bem porquê, mas as crianças têm medo do escuro….). Há, na história, professores zangados com birras e outras coisas que eu não sei fazer e há colegas que nem sempre me acham graça. Os pais? Há dias que chegam zangados e ralham comigo. Eles ajudam-me a fazer os trabalhos de casa…e é preciso paciência porque eu não gosto! Deve ser por causa das coisas que eu faço mal…às vezes, sem eu saber porquê, fico com muitas perguntas na cabeça que, quando é para ir dormir, me estragam o sono (e os sonhos bons). Começa a ser tudo… difícil de fazer (também eras assim?)… eu fico sem saber o que é preciso fazer. Não sei, fico sem vontade de tentar perceber. As coisas irritam-me depressa…é um sentimento mau. Como é que acaba a história? Sei lá, acho que preciso de ajuda agora. E os meus pais, se calhar, também. E eu acho que isso não devia ter mal nenhum”.

(Tomás, 8 anos – “A fazer uma história com os sentimentos”)